II Reis 5:1 a 19
Estamos chegando ao final desse tratamento. Faltam apenas 2 mergulhos.Vencemos o orgulho, a duvida, a vergonha, a falta de perdão, e no ultimo mergulho vencemos a ansiedade, que rouba nossa fé, muda o nosso foco e distorce nossa visão atrapalhando nossa caminhada com Cristo. Não foi fácil chegar até aqui, lutamos muito, principalmente contra nós mesmos. Mas como vimos em cada um desses mergulhos vencemos os maiores desafios de nossas vidas. Desafios que talvez tenhamos que enfrentar futuramente. Porem agora de maneira diferente porque sabemos quais armas iremos utilizar.

Aprendemos nesses dias que a vida com Cristo não nos da imunidade ao sofrimento ou a dor. Porem nos da a certeza que podemos passar o que for, temos um amigo companheiro que caminha conosco em todo momento. E esta disposto a fortalecer-nos sempre que estivermos desfalecendo. Esse é o desafio desse 6º mergulho, vencer o cansaço. Estamos indo bem até aqui, mas afundar 7 vezes no mesmo rio, sem ter a certeza que é um método eficaz para o nosso problema, não é fácil. Depois que afundarmos pela 6ª vez, só falta mais uma vez. E a nossa vida começa a passar como um filme por nossa cabeça. É obvio que se chegamos até aqui não devemos retroceder. Tudo o que já enfrentamos, já foi motivo para abandonarmos tudo. Mas chegamos até aqui. Não pensávamos que conseguiríamos chegar, mas chegamos.

Orgulhosos ou não, aqui estamos, prestes a viver um novo tempo da nossa vida;ou não. A fé é o fator mais determinante nesse momento. Cumprir com nossa parte do trato é a única garantia que temos que poderemos chegar até o fim e vencer. Estamos prestes a viver a tão sonhada vida que sempre desejamos. Sem condecorações, sem honrarias militares, sem tapinhas nas costas, apenas carregando sobre os ombros a promessa cumprida de Deus. Nada mais importa nessa hora. Porem há um problema, estamos visivelmente cansados. As pernas estão bambas, os lábios estão roxos por causa da água gelada, a pele esta perdendo sua cor, tudo por causa do cansaço.

A bíblia relata a historia de 2 homens que haviam convivido com o Messias. Não sabemos por quanto tempo. Mas o certo é que foi tempo suficiente para que eles pudessem amar não somente ao Cristo, mas sua visão, seus ideais; e depositar Nele, a confiança de um futuro melhor. O interessante é que esses dois discípulos se encontraram com uma situação duríssima. O GRANDE MESSIAS foi assassinado, juntamente com todos os seus idéias e as suas expectativas de melhoras. Por isso esses 2 discípulos caminhavam a pé rumo a sua terra. Visivelmente abatidos e cansados, eles discutem sua situação de total frustração. Mais uma vez suas expectativas foram frustradas;o que fazer ?O que era para ser um dia de alegria, por ver cumprida a palavra do mestre tornou-se em desespero. Eles não sabiam como entender a vontade de Deus.

Sabemos que Deus tem um desejo para nós, porem o que ainda buscamos é a forma de como acessar esse plano para nós.Deus não é Deus de confusão e onde quer que Ele encontre buscadores sinceros, de coração confuso, você pode ter certeza que Ele estará pronto a revelar sua vontade, e foi exatamente o que aconteceu com os dois discípulos no caminho de Emaús. Visivelmente cansados, e abatidos, sua conversa gera em torno de um assunto, A MORTE DO REVOLUCIONARIO MOVIMENTO CRISTÃO.

Quando do nada alguém muito estranho começa a caminhar com eles. Era o próprio Cristo, quem vem a revelar-se junto aos seus companheiros de jornada, que descuidaram de sua palavra, e por isso estavam confuso, mas que só então puderam entender o propósito do filho de Deus. O filho de Deus veio ao mundo revelando todo o seu poder curando enfermos e fazendo muitos sinais, para morrer de maneira cruel em uma cruz, e ressuscitar ao terceiro dia, trazendo-nos de volta o direto de andar com Deus exatamente como Adão fazia todas as tardes. E a única forma de retirarmos esse cansaço é recorrer ao seu amor. Ao mesmo tempo que Naamã sentia debilitado pela quantidade de vezes que já havia mergulhado, também ele podia sentir-se rodeado por esse amor, e isso o inspirava a ir por mais um, e mais um, e mais um até chegar ao ultimo mergulho. É direito nosso estarmos cansados de tudo aquilo que vemos. Todo tipo de injustiça, impunidade, miséria. Um mundo caótico que esta se deteriorando. Porem a única coisa que ainda mantém o equilíbrio a esse mundo tão cruel, é não apenas sentirmos esse amor de Cristo, mas responder a esse amor.

Naamã estava respondendo ao amor de Deus. E isso o motivava a continuar. Recuar ou desistir não era a saída para seu problema, o mínimo que ele podia fazer era responder ao amor sublime, e colocar-se a disposição para ser alvo da maravilhosa graça de Jesus.

A única coisa que você pode fazer é aceitar esse chamado do mestre quando em Mateus 11:28 “vinde a mim vós que estais cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei.” Essa palavra alivio, me faz lembrar a sensação de quando eu tive que carregar todas as cadeiras da igreja, e logo após a um árduo trabalho poder sentar em uma delas e beber uma refrescante garrafa de água. A sensação de alivio, é aquela quando estamos vivendo um dura pressão em nossas vidas, e derrepente tudo se resolve, ou quando estamos com uma dor insuportável de cabeça, e tomamos um remédio, minutos depois a sensação de alivio.
A palavra alivio me leva a pensar em uma sensação de libertação de algo que incomodava muito e já não incomoda mais.

Os discípulos no caminho de Emaús puderam sentir esse alivio ao verem que o mestre cumpriu sua palavra. Naamã pode sentir esse alivio quando ao final dos sete mergulhos , já não havia mais lepra, e por conseqüência sua vida foi transformada. Aceite ao convite do mestre. Aproxima-te da sua vontade, e desfrute desse alivio que não dura minutos, horas ou dias. Mas pode durar a vida eterna.

About these ads