Vencidos pelo amor

João 13: 1 a 11

No capitulo anterior, Jesus tem seus pés ungidos por Maria em Betânia. Ambos episódios aconteceram antes da páscoa que para judeus representava a passagem do povo de Israel que outrora estava escravo, e haviam sido transformados em livres.

Para nós representa a nossa passagem do estado de condenados a absolvidos. A passagem da morte por pecado, para morte ao pecado.

Jesus ensina através de toda sua vida que o reino de Deus é o reino dos inversos. Eu perco para ganhar eu morro para viver, eu desço para subir. A única maneira de mudar a vida totalmente é começar pela mudança de nossas prioridades.

No capitulo 13, João nos deixa explicito mais uma vez o desejo de Jesus de inverter os papéis. Ele ensina que quem não se assenta para aprender nunca se levantara para ensinar.

Em Filipenses 2:5 a 11, a bíblia nos fala sobre a forma como Jesus realizou a vontade de Deus abrindo mão de ser Deus. Um dos segredos do sucesso do ministério de Jesus era a sua capacidade de nunca se usurpar de ter sido Deus. Pela fama, pelo respeito que havia conquistado sua reação natural deveria ser orgulho, mas não foi.

Jesus não morre em uma cruz, Ele manifesta uma vida de renuncia entregando-se em uma cruz.

O que prende Jesus naquela cruz não foram os cravos, mas o amor Dele manifestado aos homens.

O entendimento de sua autoridade era tão grande que dava total confiança em si mesmo chegando ao extremo de anular-se pelo beneficio de outros. O poder de Jesus estava manifesto por sua submissão (I Pedro 5:6).

A palavra humildade é definida pelo Latin “humus” que significa filhos da terra. Refere-se a qualidade daqueles que não tentam se projetar sobre as outras pessoas, nem mostrar ser superior a eles. A humildade é a virtude que da o sentimento exato de nossa fraqueza, modéstia, respeito, pobreza, reverência e submissão.

Deus não guia um carro parado. Servir é pôr nosso carro em movimento para que Ele nos use.

A presença de Jesus e sua atitude ao lavar os pés. Ele nos inspira a santidade, e santidade não refere-se apenas em manter-se afastado do pecado, mas em aceitar ao convite da graça todos os dias em nossa vida, e aceitar o amor incondicional de Deus.

A manifestação da graça acontece quando descemos das nossas atitudes das nossas altitudes e abrimos a porta para o amor de Cristo.

A arrogância de Pedro no versículo 6 de João 13 revela um desejo nosso desesperado de constante aprovação. Desejo que foi confrontado por Jesus no versículo 8. Somos aceitos por ELE não há necessidade de que busquemos sua aceitação. A única necessidade que temos é a de responder ao amor de Deus, a começar quando decidimos derrubar as muralhas que nos separam das pessoas e construímos pontes.

Todo nosso esforço por buscar méritos é em vão, porque Ele já nos ama. Apenas submeta-se a esse amor, porque isso te dará autoridade para que você possa conquistar os impossíveis de Deus. Renda-se a esse amor. Permita que Ele te vença por seu amor, para de lutar contra os aguilhões de Deus. Permita que o mestre te sirva e assim que Ele te servir faça o mesmo por outros. Busque a presença de Jesus intensamente em sua vida. Aprenda que servir a outros produz no coração de Deus um desejo de te abençoar.

Permita que o amor de Deus te vença para o seu próprio bem e para que seus planos sejam cumpridos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s