Vitória com cara de derrota

Gênesis 37: 1 a 24
Essa é a história de um menino sonhador. Assim como tantos outros, que encontramos no caminho. José tinha pouca idade, mas muito do que se orgulhar. Era um excelente filho, servia a Deus e mantinha um caráter incorruptível. Ele é o filho que recebe do pai uma atenção extra talvez por ter sido um dos últimos, e Jacó sabia muito bem o que era não ser presenteado com o dom natural da primogenitura. Talvez foi por isso que Jacó investiu tanta atenção na vida de José.

Só que sempre quando o novo se destaca, o velho se sente menosprezado. Se observarmos a historia da igreja, veremos que sempre que um mover novo se levantava o que fica pra trás se manifestava. Um dos últimos movimentos de avivamento que sacudiu a igreja fez com que os mais tradicionais se levantassem contra, até mesmo julgando ser um mover diabólico. Logo depois a igreja toma a consciência de sua responsabilidade como comunidade, e aquelas igrejas que outrora experimentaram um mover de avivamento, se levantaram contra. E assim tem sido até os dias de hoje. Sempre que um mover novo se levanta, o que ficou pra traz se manifesta. Por isso que temos que ter cuidado para transformar um mover de Deus em um monumento, pois é isso que mata um avivamento. Mais do que qualquer coisa, a vida de José representa de uma forma significativa, a trajetória e o propósito de Jesus.

Sua trajetória começa quando seus sonhos e seu destaque como filho afetam a vida de seus irmãos. Na verdade o propósito de Deus que estava oculto que era de salvar seu povo e sua família levando-o a autoridade máxima na nação que dominava o povo de Deus, não foi aceita pelos seus irmãos. Em João 1:11 “ele veio para os seus, mas os seus o rejeitaram”. João descreve em poucas palavras a dura vida que Jesus teve. Veja que semelhança de Jesus e de José. E assim como Jesus, José não abriu mão de seu propósito. “A convicção do seu propósito” foi o que manteve Jesus e José no caminho da vitória.

José não tinha culpa sobre seu propósito. Assim como nós, que não escolhemos nosso propósito, apenas aceitamos ou fugimos dele. João 15:16 diz, “Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda.”. Perceba como esse versículo revela com clareza, que antes que escolhêssemos a Jesus, Ele nos escolheu e nos deu um propósito. Aceitar seu propósito facilita as coisas para que sua vida seja feliz, e as portas se abram naturalmente.

José também se assemelha a um outro personagem bíblico, a Davi, não apenas por causa de receber o chamado de Deus na mesma fase, ou seja, adolescência, mas por que tinha como profissão pastorear ovelhas. E isso me leva a outras duas lições. A primeira é que Deus nunca chama desocupados. E a segunda é que a capacidade de cumprir o propósito de Deus, vem com o tempo, e não com quantidade de estudos que posso ter.

José depois de ter sido ameaçado de morte, vendido e traído pelo seus irmãos, foi submetido a uma vida de escravo, e acusado injustamente de tentativa de estupro pela esposa de seu senhor, foi preso, e passa de sonhador, para um intérprete de sonhos, e logo recebe acesso ao palácio, e aqui mais uma vez vemos como problemas nos dão acesso ao palácio, depois de tudo isso, José é reconhecido e o propósito de Deus é cumprido. Agora não vemos na bíblia Faraó questionando a capacidade de José em relação ao governo, até porque a única coisa que ele sabia fazer era pastorear ovelhas. Se queremos receber certas promoções, temos que estar dispostos a passar pelo processo de promoção de Deus, submetendo a uma processo que ninguém vê, para que só então possamos ver essa promoção refletida em nossa vida publica.

Mais do que qualquer pessoa, José aprende que muitas vezes, A VITÓRIA VEM COM CARA DE DERROTA.
E é isso que tem desanimado a muitas pessoas, esperar para ver o resultado. Nossa paciência tem diminuído a cada dia, e nossa ansiedade de ver as coisas resolvidas tem tomado conta de nossas vidas. Mas o conselho de Isaias permanece firme (Isaías 40:31 “Mas os que esperam no SENHOR renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão.”). José tinha suas forças renovadas sempre que a fraqueza batia a sua porta, e isso porque se manteve firme no propósito estabelecido por Deus para sua vida. Aprendeu que muitas vezes a vitória se fantasia de derrota, e por isso aprendeu a esperar. O resultado disso, foi sua promoção ao cargo de autoridade, reconhecimento de sua nação e da nação que escravizou sua nação, fazendo com que José pudesse fazer muito mais para seu povo do que se ele tivesse ficado apenas com o titulo de “filho mimado”.

Temos essa escolha, ou mantemos uma vida de “filhos mimados”, ou paramos de fugir de nosso propósito e nos tornamos uma poderosa arma nas mãos de Deus para abençoar pessoas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s