Resgatando a autoridade de Deus

Lucas 7: 1 a 10
Poucas pessoas no Novo Testamento conseguiram surpreender a Jesus. Certa vez, uma mulher considerada pecadora, unge os pés de Jesus com um perfume que para as condições dela era muito caro. Uma outra vez uma outra mulher que nem queria ser vista, apenas desejava tocar no manto de Jesus, o surpreende por sua fé. Também houve o caso onde Maria recebe Jesus em sua casa e se isso não fosse o bastante, ainda vê Jesus usando-a como exemplo para ensinar sua irmã.
Surpreender a Jesus não é uma tarefa fácil. Até porque, é muito difícil a criação conseguir surpreender ao criador. Porém esse texto nos fala da historia de um capitão do exército romano que surpreende ao Mestre.
Observe que esse texto fala acerca de um militar romano, que representava a autoridade de Roma, se submetendo a pedir ajuda a líderes religiosos de um povo dominado.
O mais curioso é que diante de Jesus, o capitão romano não apresentou suas credenciais militares, mas suas credenciais reais. Ele não era digno de receber a atenção de Jesus, mas pedia a sua atenção. Ele não era digno de receber o Mestre em sua casa, mas esperava apenas uma palavra do Senhor. Em outras palavras, não era por seu mérito que esperava a intervenção de Jesus, mas eram os méritos de Jesus que poderiam materializar o milagre.
Jesus praticamente havia feito residência em Cafarnaum, por diversas vezes a bíblia narra milagres nessa cidade, porém a bíblia não esconde que por muitas vezes Jesus exorta ao povo de Cafarnaum, por serem um povo que apenas acreditava no que se apalpava e se via.
O centurião de Cafarnaum era dono de um servo. Até aqui tudo normal. Era comum que pessoas ricas, autoridades políticas e militares tivessem um escravo. “Possuir” não é uma palavra exagerada nesse caso, porque os escravos eram tratados como objetos com múltiplas utilidades. Os escravos ou servos existiam para servir aos seus senhores. Não havia sindicatos dos servos, não existia salário e nem CLT que se aplicasse a eles. Os servos eram usados e então, quando não havia mais utilidade eram descartados.
O servo do centurião estava muito doente. Lucas afirma que ele estava quase à morte, por isso era compreensível que o seu senhor o quisesse descartar. Aqui nossa primeira surpresa. O centurião, que deveria ser servido, torna-se servo do seu servo. Ele desvia a atenção de suas atividades e usa seu tempo para encontrar uma saída para os problemas do seu escravo.
A fé não sobrevive em uma ambiente em que se classificam as pessoas por sua influência na sociedade para depois aproximar-se das que se julgam mais importantes. Uma atitude de fé não pode sobreviver junto com a acepção de pessoas.
Um dos motivos porque Jesus se surpreende com o Centurião foi porque ele teve a capacidade de, sem perceber, mostrar o motivo da vinda de Jesus. Filipenses 2: 5 a 8 diz “De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz.” ou seja, Jesus é o Senhor, mas decidiu transformar-se em um servo. Jesus Cristo tinha o poder e o senhorio, mas abriu mão do direito de exercer a autoridade se submetendo aos seus servos para resgatar o direito dos servos de Senhorio. A ordem de Deus ao homem de dominar foi bem clara em Gênesis 1: 28, porém quando Adão peca, a autoridade que Deus havia dado ao homem é roubada. Então aparece Jesus que é o próprio Deus em forma de carne, e torna-se servo até a cruz, resgatando o poder de domínio do homem. Jesus não apenas nos salva da condenação eterna como nos deixa o resgate de uma herança que se havia perdido. A palavra Salvação na bíblia significa SOZO que significa salvação total e completa. Ou seja, não há nenhuma área perdida na nossa vida quando reconhecemos o senhorio de Jesus.
O pecado veio de uma rebelião, e a rebelião é a melhor maneira de se perder a autoridade e o domínio sobre as coisas. Por isso que o apóstolo Paulo diz em Romanos 13:2 que quem resiste a uma autoridade, resiste ao próprio Deus. Porque Deus quando projetou sua criação, imaginou que a melhor forma dessa criação viver bem era se submetendo ao seu criador. Satanás ainda hoje faz de tudo para que a criação se rebele com seu criador, para que a criação perca o domínio e caia facilmente nas armadilhas dele.
O que Jesus mostra nesse texto ao Centurião e a nós, é que quando deixamos nossas credenciais de autoridade para nos submeter à autoridade máxima Dele, Ele mesmo se encarrega de restituir-nos uma autoridade ainda maior sobre qualquer coisa.
Assim que submeter-se a autoridade de Jesus é acima de tudo resgatar a autoridade que Deus nos deu na criação sobre a mesma criação. Tiago 4:7 diz “sujeitai-vos pois a Deus, resisti ao diabo e ele fugirá de vós”. Para ter autoridade sobre as enfermidades, lutas e obstáculos a melhor coisa que podemos fazer é descer de nossos pedestais, e nos submeter a autoridade de Cristo, para que só então possamos resistir a satanás e vencer suas artmanhas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s