Sobre vós não haverá maldição

Êxodo 12: 1 a 14
O tempo era de intensa opressão. O povo de Deus sofria há anos com uma escravidão que parecia não ter fim. As pessoas, principalmente os homens, morriam antes dos 40 anos, isso por causa dos trabalhos escravos sob um sol intenso e principalmente porque a morte era um desejo de todos os escravos já que era o único meio de possuir liberdade.
Uma das coisas que mais me chamaram atenção nesse texto foi o fato de Deus instituir aquele mês como o principal dos meses. O primeiro mês do ano para um povo que começava a conhecer o seu Deus.
Vemos nesse texto a intervenção direta de Deus em favor de seu povo. Passaram 9 pragas que trouxeram muitos transtornos e muito medo ao povo, porém Faraó se mantinha na mesma posição. A morte dos primogênitos tinha como objetivo mostrar a impotência das “divindades” que teriam que proteger os egípcios e de mostrar a Faraó sua total impotência.
Deus estava tirando a estrutura dos Egípcios inclusive a de Faraó.
Moisés significa “aquele que foi tirado das águas”. E se você estudar a história dele, você verá que desde que nasceu Deus fez valer o significado de seu nome. Passa de um simples hebreu para filho adotivo do palácio, depois passa de candidato a Faraó, para fugitivo, depois passa de fugitivo para libertador. A história de Moisés é a representação mais real da passagem que tivemos do reino das trevas para o reino da luz (I Pe 2:9) . De escravos para livres (Gl 4:7).
A libertação do povo hebreu começou antes da saída do Egito. Foi um golpe duro para Faraó, que assim como os demais Faraós, acreditava que poderia controlar o tempo e as estações, a vida e a morte. Deus revela seu poder e seu juízo mostrando que jamais a criatura poderá superar o poder de seu criador.
A origem da palavra ‘páscoa’ vem de “pashá”, que significa passar por cima, salvar. “O anjo de Deus saltou as casas dos hebreus para não lhes fazer mal.”
Quando as mãos de Deus estão sobre um povo, o mal salta sobre esse povo. Satanás não pode atingir os eleitos de Deus. Deus é o nosso Jeová Nissi, ou seja, ele é a nossa bandeira. Quando satanás nos avista de longe, a única coisa que ele enxerga é uma enorme bandeira que significa que somos propriedade exclusiva de Deus. E quando ele vê isso não há nada que ele possa fazer.
Moisés vê Deus fazendo com os egípcios exatamente igual o que Faraó Ramsés II (seu avô por adoção) tinha feito com os primogênitos dos hebreus quando Moisés nasceu.
Observe nesse texto o quanto Deus valoriza a unidade.
(Êxodo 4:12)- Deus aconselha ao povo que quem tivesse uma família pequena, para que não houvesse desperdícios, poderia juntar-se a outras famílias. Em atos 2 a ordem aos apóstolos era que eles estivessem juntos para que o poder de Deus se manifestasse, e foi o que aconteceu.
O sangue dos animais nos umbrais de cada porta dos hebreus representava a marca de um pacto de um Deus com um povo. A mesma marca que temos quando aceitamos e reconhecemos Jesus como nosso único e suficiente salvador e Senhor. Temos uma marca que não pode ser apagada. Satanás pode nos tirar tudo, porém a marca de Cristo não nos poder ser roubada. Jó assistiu todas as suas perdas e não pôde fazer nada, porém quando Deus fala com Jó, fica muito claro que uma coisa satanás não tinha roubado de Jó: a marca da aliança que Deus tinha com ele.
Quando o sangue de Cristo entra em nossas vidas todas as maldições que estavam sobre nós são tiradas. O sangue de Cristo é a marca da libertação de toda e qualquer maldição.
O sangue de Cristo nos umbrais da porta de nosso coração representa antes de qualquer coisa que temos uma aliança inquebrável com Deus (Nm 23:19)- Deus não voltará atrás. O pacto que Ele tem conosco não pode ser quebrado.
Tenha certeza, sobre nossa tenda não haverá maldição (Salmos 91:1).
Se o mundo fala de caos, medo, morte, sobre nossa tenda haverá a paz de Cristo.
Mais do que libertar aquele povo da escravidão, Deus estava tirando-os do lugar que limitava sua visão. O Egito era o lugar da desesperança, do cansaço, da falta de expectativa. E quando vemos Deus anunciando àquele povo Deus estava rompendo com toda mentira em que satanás havia feito o povo de Deus acreditar.
O sangue nos umbrais das portas era o anúncio das coisas novas de Deus. Um povo clamou e Deus anunciou as coisas grandes e firmes que estava por fazer.
Por tudo isso tenha a convicção de que sobre a sua vida não haverá maldição que prevaleça e nem arma forjada contra ti que prospere.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s