Volte as evidências – Pr. Uagner Nantes

Volte para as evidencias

Lucas 24:13-35

A bíblia relata a historia de dois homens que haviam convivido com o Messias.

Um era Cleópas (irmão de José), o outro pode ter sido o próprio Lucas.

Eles falavam das evidencias da ressurreição como se fossem historias ou lendas.

Enquanto eles o viam como profeta suas esperanças messiânicas tinham sido esmagadas por sua morte.

Visivelmente cansados, e abatidos, sua conversa gera em torno de um assunto, A MORTE DO REVOLUCIONÁRIO MOVIMENTO CRISTÃO. Palavras pintadas de cinza com a decepção. O que queríamos não veio. O que veio, nós não queremos. E o resultado? Destruiu a esperança. A fundação do nosso mundo treme.

O que eles não perceberam é que o estranho viajante sabia mais dos eventos daqueles dias do que qualquer um, mas queria ouvir de forma terapêutica o que os discípulos estavam sentindo, afinal muitos séculos de frustrações esperando o Messias estavam nas costas não apenas daqueles discípulos como daquele povo, e Jesus queria resolver aquele problema plenamente.

O problema aqui é que os judeus eram bons em crer na gloria e na grandeza do reino trazido pelo Messias que lhes faria grandes aos olhos dos gentios, mas não criam nas profecias da humildade e do sofrimento do Messias para resgatar a humanidade. Eles crucificaram Jesus porque ELE não correspondeu totalmente as suas ambições e esperanças. Eles não podiam aceitar que O Deus te toda gloria deixou toda riqueza de sua gloria para mostrar nos que ser rico não é coisa de DEUS. Se seguirmos a Jesus por que queremos ser ricos nessa terra, somos os mais miseráveis perdidos de todos, que caminham na jornada falando de um Cristo morto, porém se o seguimos na certeza de seu reinado e governo ele mesmo se encarregará de nos suprir em nossas necessidades. Venha o teu reino.

Ao se afastar de Jerusalém eles não perceberam que estavam se afastando do lugar da paz Jerusalém significa lugar de paz ou casa do pão os discípulos decepcionados se afastaram do lugar das evidencias da ressurreição e dos milagres.

Sabemos que Deus tem um desejo para nós, porem o que ainda buscamos é a forma de como acessar esse plano para nós. E o cansaço nos faz afastar das evidencias da cruz.

Será que eles estavam decepcionados com Jesus ou com eles mesmos por ter acreditado em Jesus assassinado?

Jesus entra no assunto e com certeza com o propósito de fazê-los voltar as evidencias não de seu sofrimento, mas de sua ressurreição. Jesus notou a tristezas deles e se mostra interessado em ouvir.

Imagina se os todos os discípulos tivessem acreditado na ressurreição, você acha que eles iriam se esconder num quartinho, ou fugir para a cidadezinha mais distante das evidencias? Eles iam começar a contagem regressiva.

A fé faz agente resistir ao ambiente.

Ao chegar a Emaús eles foram para cozinha (lugar de intimidade), muitos de nós preferimos estar na sala de estar.

Depois dessa intimidade parece que o ato da santa ceia veio curar aqueles discípulos da sua cegueira e ai então Jesus desaparece, porque eles já não precisavam de evidencias físicas para crer na ressurreição, pois agora eles criam. Por isso Jesus sumiu.

Os olhos daqueles discípulos se abriram no momento que foram servidos por mãos furada. Então as escamas da autocomiseração, e da religiosidade caíram e eles puderam ver que o rei do reino eterno estava vivo.

Eles puderam ver que nem Herodes nem os maldosos foram capazes de matar Jesus, pois, não foram os pregos que o prenderam, nem os malfeitores que o mataram, foi à entrega total de um Deus que amou sua criação. O Jesus ressurreto não é um espírito de luz, ou um fantasma em forma de fumaça, ele tem corpo (sua igreja) e até pode comer pães e peixes assados.

Então eles decidem fazer o caminho oposto de que vieram. Eles enfrentaram a noite! Eles perderam o temor de enfrentá-la! A fé nas evidencias faz agente relativizar o medo (Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte…).

Ele vem ao nosso encontro nos caminhos da vida. Altera o sentido da nossa existência! Dá-nos um propósito definido para a vida! Devolve-nos a esperança! Muda nosso rumo.

A nossa convicção não recai na manjedoura do estábulo do bebê de Belém, nem nas relíquias da cruz do Gólgota. Nossa fé e esperança se sustentam no tumulo vazio. No Cristo Eterno que triunfou sobre a morte! O TUMULO ESTA VAZIO E O TRONO ESTA OCUPADO. ELE ESTA VIVO.

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s