Recipientes renovados – Pr. Uagner Nantes

Lucas 5: 33 a 39

Jesus é confrontado por discípulos de João Batista e por fariseus que queriam entender como Deus poderia fazer alguma coisa através do ministério de Jesus se os velhos costumes judaicos estavam sendo deixados de lado e de certa forma aos olhos deles os costumes estavam sendo corrompidos. Tudo era feito por causa de costumes e tradições antigas. Estamos falando de uma época em que nem as casas velhas eram derrubadas outras casas novas eram construídas sob as casas velhas, ao longo dos séculos cidades inteiras foram construídas sobre outras. Então estamos falando de um povo tão apegado ao seu passado que não permitiriam chegar nada de novo, pois o novo sempre lhes pareceria um erro.

Qual era a mensagem de Jesus? Que a lei e a graça não se misturam Jesus não estava desmerecendo a lei ou a antiga aliança o que ele tratava de ressaltar era que na antiga aliança todo mundo acreditava que poderia cumprir todas as leis de Deus, e que chegariam em Deus por seus méritos; em quanto na nova aliança, estava sendo gerada uma nova consciência de que o único capaz de cumprir as leis nos tirando a sentença que carrega aquele que não cumpria a lei foi Cristo.

Então porque Deus deu leis que ele sabia que não iríamos cumprir?

Na tentativa de fazer o homem pecador voltar o seu coração pra ele e render-se a total incapacidade de viver uma vida justa por si.

Por conta disso Jesus tenta mostrar que seria muito melhor viver sobre o governo de uma aliança que nos liberte da condenação. Até porque viver sobre a antiga aliança já não era mais uma opção já que o homem falhou na sua parte dessa aliança.

O significado literal destas figuras de Jesus é facilmente compreensível. Remendar roupa velha com remendo de brim novo faz com que o novo remendo, encolhendo mais do que a roupa velha, cause um rasgo maior. Colocar suco de uva fresco em odres velhos (que já foram esticados ao máximo) fará com que o couro se rompa quando o suco se expandir durante o processo de fermentação. Mas Jesus estava dando muito mais do que lições de costura ou indicação sobre os processos preferíveis de preparação de vinho.

Jesus responde aos seus críticos gentilmente, mas ilustra o inevitável do conflito: como pode pano novo ser usado para remendar roupa velha? Como pode o explosivo vinho novo ser contido em velhos e inflexíveis odres? Ele não poderia ser contido dentro das velhas fórmulas e rituais dos fariseus. Ele romperia o molde. A nova mensagem que ele ensinava teria que ser acompanhada por novos métodos de adoração e uma flexibilidade até então que não existia na compreensão dessa mensagem. Por isso quando eu evangelizo não falo de uma nova religião, mas de um único caminho que é uma pessoa que pode salvar JESUS. Eu não destruo a verdade de ninguém pra fazer sobressair a minha verdade, A mensagem é simples. Ele veio até nós para que nós fossemos até ele, Ele veio para refazer-nos dos pés à cabeça só assim sua gloria terá espaço para se manifestara em nós e através de nós. Ele nos aceita como somos, mas nos transforma como devemos ser.

Sempre que tentarmos remendar nosso velho ser com um pouquinho de ensinamento do evangelho ou sempre que tentarmos simplesmente derramar alguma espiritualidade do Novo Testamento dentro de nossas velhas vidas, o resultado será um desastre colossal. Somente uma reforma completa servirá. Tem de se formatar o HD (João 3:3).

Para que o novo de Deus nos toque, necessitamos abandonar nossos métodos antigos. Quer ter um ano de vitoria? Viva do jeito certo. E como é o jeito certo de se viver?

1º) Abandonando a idéia de ser a referencia. E esse é um ato de submissão a Deus consciente. Nós todos temos uma tendência a ser a ultima palavra. 2º) Deixando todo embaraço. Tome cuidado com sua vida, talvez ela seja o único evangelho que as pessoas leiam. (1Pe 2:1,2).

3º) Perdoando o passado Filipenses 3:13,14. 4º) Se projete para eternidade. Porque se projetar para 40 anos se o sangue do cordeiro nos deu a eternidade? 5º) Não ame esse mundo. (1 João 2:15 a 17)

O novo caminho de Jesus é um pano inteiro (assim como eram as roupas que usava) e não uma colcha de retalhos. Ele não tinha vindo para enxertar suas novas verdades no esfarrapado tecido religioso das tradições humanas e ímpias atitudes.

Assim como os velhos odres e as roupas velhas não conseguem suportar a dilatação do vinho novo e o remendo novo, os velhos costumes religiosos não conseguem suportar a graça e a misericórdia ensinada no evangelho de Cristo. É necessário livrar-se de tudo que não pode coexistir com Cristo. Se você crê somente no que gosta do evangelho e rejeita o que não gosta, não é o evangelho que você crê, mas, sim, em si mesmo. Agostinho

A vida cristã passa por uma revolução quando ela é gerada não por regras e preceitos humanos, mas pelo conhecimento adquirido na intimidade com Jesus e esse encontro gera fé, pois se sabemos quem ele realmente é confiamos no que ele diz.

O novo de Deus não é novo porque nunca existiu, mas porque tem o poder de transformar a cara do antigo e fazer o que o antigo não foi capaz. Não há atalhos e nem meias verdades, nem jeitinhos de se fazer. As verdades de Deus não podem cair nas armadilhas da modernidade; ou vivemos o evangelho de Cristo ou viveremos escravos do nosso jeito, mas, longe de Deus. A nova aliança não anulou a antiga, mas trouxe a consciência que só é possível viver em Deus.

Deus não quer nos dar apenas um ano novo, mas uma nova forma de viver todos os dias em todos os anos que ainda nos resta. Sejamos o recipiente capaz de suportar as verdades de Deus até transbordá-las.

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s