Pr. Uagner

Quem é a páscoa?

 

Êxodos 12: 41 á 43

Nesse texto temos o relato da última praga enviada sobre o Egito e uma das maiores figuras da redenção das Escrituras manifestas em um ritual detalhado e profundo que testemunhava não só o que aconteceria ali, mas o que aconteceria séculos depois á partir do sacrifício do cordeiro que satisfaria o principio da justiça.

Um cordeiro que seria sacrificado não apenas para a comemoração da saída da escravidão, mas como também conservação da vida, pois o sangue desse cordeiro decoraria os umbrais das portas e seria por sinal nas casas que deveriam ser evitadas pelo anjo da morte (casas que o anjo saltaria “pasach)”. Representando que os que são lavados pelo sangue do cordeiro relativizam a morte e não temem mais o seu poder. Quando as mãos de Deus estão sobre um povo, o mal salta sobre esse povo. Satanás não pode atingir os eleitos de Deus. Deus é o nosso Jeová Nissi, ou seja, ele é a nossa bandeira. Quando satanás nos avista de longe, a única coisa que ele enxerga é uma enorme bandeira que significa que somos propriedade exclusiva de Deus. E quando ele vê isso não há nada que ele possa fazer.
E Agora o povo que não era considerado na história agora poderia sair da terra de sua escravidão como um exército do Senhor. Talvez comece aí a páscoa, Porque assim como eles nós não estávamos sendo considerados no universo, as nossas palavras e a nossa vida não tinham nenhum significado porque todo significado da vida tinha ficado na mordida de um fruto proibido e na desobediência de duas pessoas que acreditaram assim como nós muitas vezes acreditamos que Deus não é suficiente. Tua maior tentação hoje não será algum pecado horrível, mas a desconfiança sorrateira e sutil que se arrasta no teu coração sussurrando: se deleitar em Cristo não é suficiente. Josemar Bessa. Aliás, a maior constatação da nossa depravação é que enquanto Deus tem nojo do pecado nós ainda temos nele um grande prazer. (mais…)

Anúncios

Gerados na graça

mensagem---Gerados-na-graça

por Pr. Uagner Nantes

“Portanto, já que estamos recebendo um Reino inabalável, sejamos agradecidos e, assim, adoremos a Deus de modo aceitável, com reverência e temor, pois o nosso “Deus é fogo consumidor!” [Hebreus 12:28,29]

Uma coisa que precisamos saber para entender o que o escritor misterioso de Hebreus estava querendo dizer é que, ao que parece, os cristãos daquele tempo eram cristãos que estavam pensando em deixar seu relacionamento com Cristo para voltar a viver sob a Lei de Moisés. O mesmo sentimento dos hebreus no deserto que estavam sempre com saudades do Egito. Então o escritor de Hebreus estava determinado a mostrar aos seus leitores que escolha tola seria essa.

O livro de Hebreus foi escrito claramente para ouvintes conhecedores das Escrituras do Velho Testamento e, especialmente dos rituais de sacrifícios da Velha Lei. É evidente que os leitores pretendidos eram judeus cristãos (por exemplo, 3:1; 4:14-16). Eles tinham sofrido alguma perseguição, como resultado de sua fé e alguns, provavelmente desanimados por suas tribulações ou em dúvida sobre seu compromisso com Cristo, estavam pensando em voltar para o judaísmo. Outros já tinham deixado de reunir-se com seus irmãos (10:19-39).

E o que propõe o escritor desse livro é que não somente Jesus é um Legislador e Sumo Sacerdote superior, mas sua aliança é superior à Aliança Mosaica (capítulos 8-10). De fato, “melhor” é a palavra chave do livro (1:4; 7:22; 8:6, etc)!

É por conta do sofrimento que muita gente não resiste e acha que vai sofrer menos sem Cristo. E essa talvez tenha sido a desculpa de tanta gente que abandonou o cristianismo. A pergunta é sempre a mesma: “Se Deus existe, por que que há tanto sofrimento, e por que Ele nos deixa sofrer?”. Na verdade a gente sofreria ainda mais se Ele não tivesse feito o que fez na cruz.

O que precisamos entender é que sofrimento é a realidade assumida após a queda, e que Cristo não nos propôs uma vida com Ele sem sofrimentos nessa Terra, mas uma vida em que pudéssemos resistir a quaisquer tipos de sofrimentos, tendo garantida a tão sonhada vida sem sofrimento ao lado dEle na glória, onde de fato Ele reina plenamente e não há espaço para o sofrimento (João 16:33).

Então, ser vencedor ou mais que vencedor em Cristo Jesus não é deixar de sofrer, mas nunca ser derrotado por nenhuma espécie de sofrimento.

E essa é a proposta do escritor de Hebreus, ressaltar a diferença entre o que a Lei oferecia e o que o cristão possui em Cristo. Em vez do terrível Sinai para alguns, a graça para todos. Os filhos de Deus gerados na graça são conduzidos a uma classe mais elevada de bênçãos. São convidados a escalar a montanha da graça, a entrar pela fé na “cidade do Deus vivo”.

Precisamos entender que o Céu não é o nosso destino, mas sim a nossa origem.

Então qual é o papel da graça do “Deus fogo consumidor”? Aperfeiçoar-nos para o grande encontro com o Pai (Hebreus 12: 14).

Deus sendo O fogo consumidor fala do foco em Sua santidade, ou seja, é uma expressão de Sua natureza pura. Fala da advertência ao Seu julgamento? Sim, mas acima de tudo fala da combustão que há no encontro da essência pura de Deus com as impurezas de nossas imperfeições e pecados.

Em Efésios 1:4, a Bíblia diz que Deus nos elegeu nEle antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dEle em amor.

Quando Deus criou as plantas, Ele não disse “árvore, nasça!”, Ele disse “terra, produza árvores”, por isso, quando você tira uma árvore da terra ela morre, porque ela é desligada da fonte de vida. Quando Deus criou os peixes, Ele não disse “peixe, nasça!” Ele disse “água, rios, mares produzam os seus peixes”, quando você pesca e tira o peixe da água, ele morre porque foi desligado da sua fonte. Mas eu e você Deus não terceirizou, Deus não mandou ninguém fazer, Ele disse “façamos nós o homem à nossa imagem e à nossa semelhança”, então agora nesse ambiente de graça estamos religados Nele e por isso eu posso entender que agora o Céu não é mais meu destino, o Céu é a minha origem.

Sabe por que nada nesta terra nos satisfaz? Porque simplesmente não pertencemos a ela. Você tem uma origem e um dia você vai ter que acertar as contas com essa origem que te criou a partir dEle, depois entrou em sua vida e nunca mais se separou de você.

É por isso que Jesus disse em Mateus 7:18-20 – Árvore que não dá fruto é jogada no fogo. Ou seja, temos uma ampla responsabilidade com a fonte de nossa origem.

“Ninguém entrará no reino dos céus sem ser santificado na terra.” [Hebreus 12:14]

Nossas imperfeições, falhas e pecados contrastam com a Sua perfeição. Mesmo assim ao invés de nos destruir com seu fogo santo, Ele nos renova e purifica. Então podemos, não apenas nos aproximar dEle por causa de Jesus, mas nos aproximar dEle ao viver por Jesus no nosso mundo Hb 13.

É por meio da graça que podemos nos relacionar com Deus, e que mesmo sendo o fogo consumidor, Ele não nos destrói. Ele consome apenas o que há de mal dentro de nós.

O fogo de Deus tem o papel primordial de nos aperfeiçoar. Por isso temos a impressão de sofrermos tanto ao andarmos na vontade de Deus, na verdade sofreríamos ainda mais longe dEle. Sem Deus, apenas acreditamos ter a falsa opção de fugir do sofrimento quando ele está insuportável, mas com Deus, como diz em Salmos 23:4, Ele me leva a andar no vale da sombra da morte para enfrentar, e ao enfrentar, relativizar o mal, pois Ele mesmo vai comigo.  

Então comece hoje uma vida de intimidade, entre no coração em chamas de Deus, mergulhe fundo. Vá ao coração dEle e descubra coisas que ainda não estão na vida das pessoas, deixe que a Bíblia crie vida em você.

Por que precisamos saber que Deus é fogo? Porque Ele quer nos incendiar por dentro e por fora. Se nós incendiarmos, não vamos mais correr atrás de incêndio. Ou seja, se tivermos nossas próprias experiências com Deus, não necessitaremos correr atrás dos sinais, porque nós seremos os sinais.

Para que serve uma sarça? Não serve para nada, não faz raiz profunda, não dá sombra e não dá frutos, mas ela queimou, e porque ela queimou, ela atraiu um homem que libertou uma nação inteira.

Deus só está pedindo pra você queimar, é só isso. Queime. Deixe Deus ser Deus através de você, deixe Deus manifestar os céus através de você.

E esse Deus, que se revela na figura do que for necessário, seja fogo consumidor, água da vida, pão da vida, pedra de esquina, entre tantas outras analogias e figuras, é o único capaz de mudar consciências e levar pessoas ao céu. 

Nosso Deus é um fogo consumidor – 1ª noite

mensagem---Nosso-Deus-é-fogo-consumidor---1ª-noite

por Pr. Uagner Nantes

“Portanto, já que estamos recebendo um Reino inabalável, sejamos agradecidos e, assim, adoremos a Deus de modo aceitável, com reverência e temor, 29pois o nosso “Deus é fogo consumidor!” [Hebreus 12:28,29]

O livro de Hebreus é um livro muito curioso, primeiro porque ninguém sabe exatamente quem o escreveu. Há fortes indícios de que tenha sido Paulo, mas nada comprovado.

Segundo porque Hebreus manifesta a graça de uma maneira única. É nesse livro que podemos ver que a graça de Deus só pode ser manifesta quando nos agarrarmos à consciência de que ela não apenas nos traz para o perdão, como principalmente para a transformação.

Ser perdoado sem ser transformado é o mesmo que tomar banho e colocar a mesma roupa suja de antes do banho; agora além de sujar de fora pra dentro, também sujaremos de dentro pra fora. Se nos arrependermos diante de Deus dos menores pecados (aos nossos olhos) que cometemos, jamais chegaremos perto dos pecados mais absurdos.

Graça nada mais é que a predisposição no coração de Deus de nos aceitar como somos e nos moldar à forma de como deveríamos ser desde sempre. E é nesse contexto que o capítulo 12 de Hebreus nos coloca. Ele inicia nos aconselhando a deixar todo embaraço, ou seja, tudo o que nos impede de correr na corrida da fé. E como deixaremos o embaraço se o pecado nos rodeia tão de perto? Pela fé. E para que nos foi dada a fé? A fé não nos foi dada para crermos em Deus, mas para nos relacionarmos com Ele, e ao nos relacionarmos com Deus podemos naturalmente crer nEle.  Somente através da fé é que podemos voltar a dizer não ao diabo, e contra o nosso não ele não pode fazer nada.

Sem contar que o escritor no versículo 29 faz a mesma citação de Deuteronômio 4:24, onde o escritor também falava ao povo sobre alinhamento com a vontade de Deus, abandonando as idolatrias.

Esse sempre foi o alvo de Deus: achar e erguer adoradores em todas as gerações; adoradores que não dividam seus corações com outros deuses. Quando adoramos, não adoramos porque DEUS está querendo ser paparicado, adoramos porque é na adoração a Deus que temos a oportunidade de ficar parecidos com Ele.

Então devemos adorá-Lo por medo, pois Ele é fogo consumidor? Não. Pois esse fogo dito pelo autor de Hebreus é o mesmo tipo de fogo que queima sem destruir.

Fica evidente aqui que o autor desconhecido de Hebreus estava falando de uma das qualidades de Deus, um fogo que consome sem destruir, exatamente o que nos mostrou o encontro de Moisés em Êxodos 3:2.

O texto então nos anima a alinhar nossa vida ao Reino que servimos, anunciado pelas boas novas do evangelho que recebemos, ou seja, o texto está falando que recebemos o Reino, porque o Reino está sendo anunciado pelo evangelho, e evangelho não é uma só uma mensagem, evangelho é uma Pessoa, e uma Pessoa que transforma pessoas.

Antigamente, evangelho era o relato das conquistas do império romano, mas depois do Cristo, evangelho é o relato do triunfo do Cristo pela feitura da redenção. Falar o evangelho é relatar o avanço da redenção na história e na sociedade, e anunciar como pessoas e comunidades podem ser incluídas nessa tão grande salvação.

Esse é o fogo de Êxodos 13:21,22 que iluminava, protegia e aquecia, mas não consumia as pessoas que estavam envolvidas por ele. Iluminava os caminhos escuros do deserto (revelação), protegia de ataques noturnos, tantos de animais como dos bandidos e dos aproveitadores (proteção e segurança) e aquecia no meio do clima congelante das noites no deserto (descanso). Então quem é esse Deus? É o fogo que garante clareza, segurança e descanso na jornada.

O mais interessante é que a coluna de fogo, assim como a nuvem que vinha sobre eles de dia, se movia, ou seja, Deus não é estático. Às vezes insistimos em permanecer em lugares onde Deus já não está. Se não ficarmos atentos ao movimento da coluna corremos o risco de ficar perdidos, em perigo ou congelados pela apostasia.

O que mais o Deus fogo representa na bíblia?

A bíblia mostra o fogo como uma representação simbólica de mais algumas coisas:
– Purificação (Malaquias 3:3 e Hebreus 12:29);
– Prova a intenção (1 Coríntios 3:13);
– Avivamento e ativação (Atos 2: 2 a 4, 2 Samuel 22:13);
– A ação efetiva de Deus, ou seja, O DEUS em ação (Jeremias 23:29);
– Consumir o sacrifício (2 Crônicas 7:1).

Por que precisamos saber que Deus é fogo? Porque Ele quer nos incendiar. Se nós incendiarmos, não vamos mais correr atrás de incêndio. Para que serve uma sarça? Não serve para nada, não faz raiz profunda, não dá sombra e não dá frutos, mas ela queimou, e porque ela queimou, ela atraiu um homem que libertou uma nação inteira.

Deus só está pedindo pra você queimar, é só isso. Queime. Deixe Deus ser Deus através de você, deixe Deus manifestar os céus através de você. E esse Deus, que é o desenvolvimento simultâneo de calor e luz produzido pela combustão, é o único capaz de mudar consciências.

Estamos prontos para viver a intensidade desse fogo e ser tocados por Ele ao ponto que Ele nos acenda?

Esse é o tempo do derramar de Deus, e acima de qualquer manifestação divina, nosso Deus vai se revelar como fogo para nos incendiar. 

Em tudo dai graças

devocional---em-tudo-dai-graças
por Pr. Uagner Nantes

“Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.”
(1 Tessalonicenses 5:18)

Sempre pensamos que este texto fala que devemos dar graças pelo que é bom, sempre lamentando pelo que é mal. O que não percebemos é que esse ambiente em que a gente vive já é um ambiente da graça onde ainda há esperança, onde algo pode ser feito, onde mudanças podem ocorrer. E mesmo que haja pessoas que não venham a se converter, elas podem se tornar gente mais pacífica, mais tranquila, gente mais produtiva, mais eficaz, e isso por causa da graça comum.

Graça comum é essa graça que está sobre toda criação e que explica porque é que gente que não ama a Deus ama seus filhos, porque há pessoas que não amam a Deus, mas têm senso de justiça, ou porque gente que não ama a Deus, tem senso do belo e pode ser virtuosa em seus instrumentos musicais, podem ser poetas literários, brilhantes. Por quê? Se tudo isso é atributo divino? Porque a graça de Deus cobre a terra dando qualidade de vida aos seres humanos, porque qualidade de vida é o que consegue tempo pra nós. E tudo o que nós precisamos é de tempo, pois é preciso haver tempo pra que a missão seja feita, para que o evangelho possa chegar a todo mundo, tempo para preparar a gente pra fazer missão.

Se o mal dominasse todas as relações, o juízo de Deus se precipitaria, pois há uma medida de mal que Deus não tolera, se atingir essa medida, o juízo de Deus se precipita. Então pra que o juízo de Deus não se precipite, tem que haver qualidade de vida. Como nós, em nós mesmos, não podemos tê-la, o Senhor empresta-nos Seus atributos, e é isso que dá qualidade de vida pra pessoas que não amam o Senhor, mas que o Senhor ama, e isso consegue tempo pra humanidade.

Então, quando temos essa compreensão, entendemos que estamos no ambiente da graça de Deus, e nesse ambiente, a gente agradece a Deus em todas as coisas.
Esse versículo não diz “por tudo dai graças”, mas “em tudo dai graças”, não importa em que lugar você esteja, em que situação você esteja, dê graças a Deus; não pelo que está acontecendo, mas pelo que você mesmo pode fazer estando onde está.

Em tudo o que está acontecendo dê graças porque a graça de Deus está atuando e isso significa que situações pode ser mudadas, gente pode ser mudada. A gente pensa assim “mas o sujeito não é do Senhor, então não tem jeito”, essa graça de manutenção não salva, mas mantém com qualidade de vida, para dar tempo pra que a graça especial possa ser derramada também.

Há todo um trabalho de Deus que a gente não percebe, e às vezes a gente não ora com gratidão porque não faz a obra de Deus. Muitas vezes não percebemos a obra de Deus e não percebemos Deus trabalhando na história pra cuidar dos interesses do Reino.
O problema é que nós não acreditamos que a mensagem de Jesus é a melhor coisa que pode ser
feita na história, e que levar a mensagem dEle é o que cura as nações do poder das trevas.

Quantas vezes acreditamos que o mal é todo poderoso, e nos esquecemos que só há um Ser Todo Poderoso no universo que é a Trindade. Tudo o que o mal faz pode ser revertido com o coração, com trabalho, com dedicação, mas acima de tudo com intercessão, com pregação da palavra de Deus, com disposição pra ser agente de Deus onde Deus nos quiser como agentes, pra que a vida triunfe sobre a morte, pra que a luz triunfe sobre a escuridão. Nada é irreversível porque Jesus Cristo venceu a morte, isso é o ambiente da graça: Jesus Cristo, nosso Senhor, venceu a morte, a última palavra é a palavra da ressurreição.

Quando não temos fé na palavra do Senhor, reagimos de modo errado em relação à vida, por isso não conseguimos dar graças em tudo. Imagina se os discípulos tivessem acreditado na ressurreição, você acha que eles iriam se esconder num quartinho? Eles iriam começar a contagem regressiva! A fé faz a gente resistir ao ambiente, por isso as escrituras dizem “Em tudo dai graças”.

Em tudo dar graças não é o mesmo que dizer “agradeça, você sabe que há males que vem para o bem”. Se isso aqui é uma desolação, é porque é aqui que a ressurreição vai aparecer com mais
força e com mais glória e o nome de Jesus Cristo vai ser honrado como nunca foi antes.
Quando o Senhor diz “em tudo dai graças”, na verdade Ele está dizendo “olhe ao seu redor, você não percebeu que tudo está debaixo da minha graça? Não percebeu que isso aqui pode ser movido pela graça? Não percebeu que aqui, ninguém além de Mim dá a última palavra?” Olhe pra onde você está e acredite, aja baseado na sua fé, a fé que lhe foi dada, e proclame “Graças te dou oh Deus! Porque algo vai acontecer aqui!”

É com essa certeza da vitória de Jesus Cristo que a gente anda sempre pra frente e sempre em contagem regressiva “Ele está chegando e eu vou fazer tudo pra que quando Ele chegar, me encontre indo ao encontro dEle”. Isso acontece porque Ele nos encontra fazendo as obras que Ele faria se estivesse em nosso lugar.

Enquanto Ele está trazendo a consumação do Seu reino, nós estamos indo a Ele com tudo o que nós fazemos. Estamos deixando claro pra todo o mundo que o reino de Deus está entre nós, então vai haver justiça por onde nós passarmos, vai haver salvação por onde nós passarmos e vai haver mudança por onde nós passarmos, porque essa é a era da graça de Deus.

“Quão invencível é a graça de Jeová. Nenhuma criatura tem o poder de atrair o homem a Cristo. Exibições, evidências miraculosas, ameaças, inovações são usadas em vão. Somente Jeová pode trazer a alma a Cristo.” (Robert Murray McCheyne.)

Como Não evangelizar em 3 passos

 

Mais informações :

http://godbrasil.com.br/#home

O milagre está em casa – Pr. Uagner Nantes

O milagre esta em casa

2 Reis 4.1-7

Veja a situação; uma mulher que já não tinha mais marido e tinha que criar os filhos sozinha. Por ser mulher numa sociedade machista ela não conseguia emprego. Logo o inevitável aconteceu. Os recursos acabaram, e as dividas não. O dinheiro deixou de vir, as contas a pagar não. Possivelmente essa divida já existia antes de seu marido morrer, e assim que ele morreu essa divida não morreu com ele e como não se cancelava recaiu sobre ela e seus filhos. E aí o pior aconteceu, por conta de sua divida a liberdade de seus filhos estava sendo ameaçada.

De acordo com o historiador Flavo Josefo, “a viúva desta história era a esposa de Obadias, o mordomo de Acabe em 1Reis 18. O motivo de a família estar endividada era que Obadias havia sustentado os 100 profetas do Senhor que ele escondera de Acabe e Jezabel”. Essa viúva então é aprova que não estamos imunes a passar por tribulações, não é porque eles eram parentes de um profeta que eles não passariam por provas.

Ela então vai ao profeta e o profeta então faz a pergunta que determinou todo o resto da historia: “o que é que você tem em casa?”. (mais…)

Jesus ainda suspira por você – Pr. Uagner Nantes

Jesus suspira por você

Marcos 7: 33 a 35

Qual a pior crise que pode haver no ambiente de fé? Bom, a pior crise que pode haver num ambiente de fé é perder a fé. É quando é que um grupo de fé uma comunidade de fé entra em crise? Quando a suas bases são testadas.

O apóstolo Paulo disse que a fé vem pelo ouvir da palavra de Cristo, ou seja, segundo o apostolo fé é um presente que é adquirido que é concebido enquanto exposto a palavra de Cristo. A fé tem uma fonte e tem um caminho, a fonte é Deus, porque a fé é um presente de Deus, é uma convicção, e uma convicção pode ser fruto de uma pesquisa? Pode. Uma convicção pode ser fruto de um apanhado de provas? Pode. Mas não a convicção que nós chamamos de fé, porque a convicção que nós chamamos de fé é a certeza de coisas que se esperam e convicção de fatos que não se vêem. Como alguém pode ter certeza do que espera se ele não tem mais do que agora? Como que alguém que só tem agora pode ter certeza do que espera? E como é que alguém pode ter convicção de fatos que não se vêem? Se não se vêem por que são fatos? Porque fato é feito, fato é realizado, fato é passado, então fé é certeza de futuro e convicção de passado que não foi visto. Então o que é fé? Fé é um milagre, é resultado de ter tido um relacionamento com alguém de quem não se pôde duvidar. Alguém que me deu a informação de que o que eu espero vai acontecer, e que me garantiu que o que eu não vejo já aconteceu. (mais…)